5 dicas para lidar com dinheiro no casamento com transparência

Existe um ditado que diz que “quando o dinheiro sai pela porta, o amor sai pela janela”. Calma aí. Não precisa ser assim – afinal, lá no altar, você também prometeu lealdade na pobreza, lembra? Porém, problemas com dinheiro no casamento são um dos maiores causadores de divórcios.

Como lidar com as questões de dinheiro no casamento

A verdade é que não são as dificuldades financeiras em si que abalam a relação, mas, sim, a maneira que a questão já vinha sendo tratada até culminar em uma crise. E tratar o dinheiro como tabu é, na maior parte das vezes, a raiz desses problemas. Por isso, separamos algumas dicas para você e seu amado lidarem bem com as finanças dentro do casamento e terem uma relação transparente e saudável quando o assunto é dinheiro.

dinheiro no casamento

5 dicas para resolver problemas de dinheiro no casamento

1. Abram o jogo sobre o dinheiro

Uma pesquisa do site CreditCards.com, dos Estados Unidos, apontou que cerca de 13 milhões de americanos mantêm dinheiro escondido de seus parceiros. Esse hábito, um sinal claro de desconfiança, também pode deixar o cônjuge ressabiado, culminando em um ciclo de suspeita. Por isso, se você tem uma conta secreta, hora de abrir o jogo. Tudo bem se cada um tiver uma conta individual, desde que isso seja de conhecimento dos dois e que não atrapalhe o orçamento da casa. Seja honesta em relação aos seus recebimentos e despesas (esconder salário também não é uma boa…) e peça transparência a ele também.

2. Quanto mais cedo falarem sobre as finanças, melhor

Não deixe a dificuldade chegar para começar a repensar a relação de vocês com o dinheiro. É indicado que o tema seja discutido desde aquele momento em que o namoro se torna sério. Assim, quando vocês decidirem juntar as escovas, as coisas já estarão mais claras e falar sobre o assunto será mais natural.

3. Façam do diálogo sobre dinheiro um hábito

Vale sentar com o cônjuge pelo menos uma vez por mês para colocar as despesas na ponta do lápis. Assim, vocês podem discutir onde podem economizar, o que está dando certo e definir as prioridades do orçamento. Ah, e nada de tomar uma grande decisão, como comprar um carro, sem consultar a outra parte, ok?

4. Alguém pode assumir a liderança, mas sem bancar o chefe

Talvez um de vocês tenha mais habilidade e segurança para lidar com questões financeiras. No entanto, adotar uma postura autoritária pode minar o relacionamento. Tudo, absolutamente tudo, deve ser conversado e negociado. Discordâncias podem existir, desde que cada ponto de vista seja exposto numa boa – saiba colocar seu pensamento e ouvir para que, juntos, vocês cheguem a uma decisão.

5. Vivam a individualidade financeira

Para arcar com os gastos, os recebimentos também terão que ser divididos. Mas também é muito importante que cada um separe uma parte do salário para gastar consigo mesmo – e isso é inegociável. Dessa maneira, vocês gastarão essa fatia com o que bem entenderem e o outro não terá direito de achar ruim. Estabeleçam a quantidade que será separada mensalmente para que isso não seja motivo de briga.

*Este material foi escrito pela nosso site parceiro Finanças Femininas para auxiliar  os casais a manter a vida financeira mais saudável e organizada.