CASO REAL: O casamento ortodoxo da Bruna e do Alexandre

Gente gente gente! Tô muito empolgada! Se lembram da Bruna? Aquela moça suuuper fofa que mandou um Caso Real pra gente contando tudo sobre o seu chá de lingerie? Entããão, ela escreveu pra gente de novo e sabe qual a novidade? Ela e o Alexandre casaram! E em uma cerimônia super linda, em uma igreja ortodoxa, que me deixou com o coração transbordando de amor. Quando ela me escreveu de novo, dizendo que havia casado, me bateu uma felicidade tão grande. É a prova de que o nosso trabalho aqui no Casar é um barato está dando certo, que estamos seguindo nosso coração e tendo cada vez mais vínculos de amor com as nossas noivinhas amadas!

caso-real-bruna-alexandre (12)

É muito legal saber que não só viramos um ponto de referência para vocês, mas também saber que viramos amigas, companheiras, parceiras, que estamos aqui para ouvir vocês e ajudar em cada pequeno detalhe. Falei para a Bruna do tamanho da nossa felicidade e agora falo para vocês todas: obrigada por compartilharem todo esse amor com a gente!

Bom, deixa eu me recompor aqui, respirar fundo e passar a bola para a Bruna contar tu-di-nho do casório. Sério, gente, é muita lindeza junto. Vem ver!

“Casamos! Depois de 1 ano de muitos preparativos, de um chá de lingerie lindão – que ficou marcado no meu coração -, e muita mão na massa, chegou o nosso dia!

Foi numa sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015, às 19h30 numa igreja Ortodoxa em Curitiba-PR. O tão sonhado dia veio com uma grande surpresa: depois de uma semana de MUITO (mas MUITO) calor e dias super ensolarados na cidade, a sexta-feira amanheceu nublada e, no final do dia… Chuva! (MUITA chuva!). Chuva que só cessou 1 semana depois do nosso casamento. A parte legal disso foi saber, da nossa vovó querida, que tanta chuva no dia do casamento tem um significado. Palavras dela, para nós, no dia: “Chover no dia do casamento é significado de muuiiiitaaaa sorte! A água da chuva leva embora todos os pensamentos e energias negativas que possam estar rondando os noivos. Então, abram um sorriso enorme e agradeçam! No dia do meu casamento com o vovô, choveu exatamente assim e ficamos casados por mais de 50 anos!” Como ficar triste, gente?

caso-real-bruna-alexandre (23)

Enfim, estávamos preparados para isso e a única coisa que não ficou exatamente como queríamos foram as fotos pós-cerimônia, que planejamos fazer ao ar livre numa praça linda que tem próximo à igreja e, no dia, tivemos que ir para o hotel onde nos hospedamos e fotografar por lá mesmo… Aqui deixo uma dica para as futuras noivas: pensem num lugar protegido das intempéries climáticas e que seja legal para fotografar, caso o tempo no dia não colabore.

caso-real-bruna-alexandre (24)

Decidimos casar na Ortodoxa por um simples motivo: além de o Alexandre ter sido criado nesta igreja, as cerimônias de casamento realizadas lá são riquíssimas em detalhes lindos e rituais repletos de significados. Então, por que não? Pesquisamos, fomos atrás de referências, marcamos um horário com o Padre (que desde o início foi SUPER receptivo e nos acolheu de uma forma muito calorosa), e, quando vimos, já estávamos decididos e com a data reservada.

caso-real-bruna-alexandre (4)

caso-real-bruna-alexandre (7)

caso-real-bruna-alexandre (20)

Para a festa, queríamos apenas duas coisas: boa comida e bebida e que as pessoas queridas que estavam presentes se sentissem à vontade e felizes junto conosco. Optamos então por um restaurante italiano localizado num bairro tradicional aqui em Curitiba, chamado Santa Felicidade. O jantar foi basicamente com massas, carnes e saladas, seguido de doces que escolhemos a dedo e um bolo lindo. A trilha sonora? Tarantella para abrir o jantar, com direito a performance dos garçons, seguido de MUITO rock and roll!

caso-real-bruna-alexandre (43)

caso-real-bruna-alexandre (46)

caso-real-bruna-alexandre (47)

Para a decoração, decidi uma paleta de cores com azul, rosa chá, branco e champagne, sendo que a única exigência que fiz com a decoradora com relação ao tipo de flor foi que usassem hortênsias nos arranjos. MUITAS hortênsias azuis para combinar com toda a papelaria que eu mesma desenvolvi ao longo do ano anterior, na qual fiz predominar o azul. Ahhhh achei lindo!

caso-real-bruna-alexandre (28)

caso-real-bruna-alexandre (35)

caso-real-bruna-alexandre (38)

caso-real-bruna-alexandre (39)

No dia da cerimônia, pedi à cerimonialista que deixasse sobre os bancos da igreja um folheto que preparamos para a data, explicando cada passo da cerimônia, pois, como foi algo bem diferente, achei legal deixar os convidados antenados no que estaria acontecendo nos quase 50 minutos de celebração. Todos adoraram!

caso-real-bruna-alexandre (16)

Vamos aos significados?

A cerimônia do casamento ortodoxo recupera rituais muito antigos através dos quais os noivos demonstram um ao outro, aos pais, familiares, amigos e a Deus, o seu amor e o seu compromisso. No ritual, o padre usa paramentos e trajes bizantinos. A cerimônia é cantada e realizada em três idiomas: português, árabe e grego. O padre celebrante abençoa o casal e as alianças e, após fazer com elas o sinal da cruz sobre o noivo e a noiva, coloca-as nas mãos deles, unidas. A oração nesse momento pede a Deus que una o casal “num mesmo coração”, pois, por si mesmos, os recém-casados são incompletos. Juntos é que eles se tornam perfeitos.

caso-real-bruna-alexandre (18)

A coroação:  As coroas são símbolos de glória e honra, com as quais Deus coroa o casal durante o sacramento. O noivo e a noiva são coroados como Rei e Rainha em seu próprio e pequeno reino: a casa que eles governarão com sabedoria, justiça e inteligência. No decorrer da coroação, o sacerdote pega as coroas e as suspende sobre os noivos, dizendo: “Ó Senhor, nosso Deus, com Glória e Honra coroa-os”.

caso-real-bruna-alexandre (1)

caso-real-bruna-alexandre (9)

caso-real-bruna-alexandre (11)

caso-real-bruna-alexandre (13)

O vinho: São lidos a Epístola e o Evangelho, no qual se descreve o casamento em Canaã da Galiléia, que teve a presença e a benção de Cristo e para o qual ele reservou seu primeiro milagre. Lá, Jesus transformou a água em vinho e deu para os recém-casados. Em lembrança dessa graça, é dado vinho ao casal como a “comunhão” da vida, marcando a sua participação mútua, na alegria e na dor. O beber do vinho da comunhão serve para o casal lembrar que a partir deste momento eles compartilharão tudo em suas vidas: suas alegrias serão somadas e suas tristezas divididas, pois estarão unidos.

caso-real-bruna-alexandre

A procissão: O sacerdote conduz o casal em três voltas ao redor do analói (mesa na qual estão colocados o Evangelho – que contém a palavra de Deus –, e a Cruz – símbolo da nossa redenção). A Igreja, na pessoa do sacerdote, os conduz pelo caminho em que devem andar, simbolizado pelo círculo no centro do qual está o Santo Evangelho, centro da vida cristã, Jesus Cristo e seus ensinamentos. São três voltas que honram e glorificam a Santíssima Trindade. O Deus Tri-Uno, no sentido anti-horário, por ser Ele eterno, e para que sua eternidade encontre reflexo na união dos recém-casados.

caso-real-bruna-alexandre (8)

caso-real-bruna-alexandre (20)

caso-real-bruna-alexandre (22)

É isso… Nas fotos dá pra ver um pouquinho de cada momento deste dia que foi tão especial para nós.

Para as futuras noivas: aproveitem toda a preparação e curtam muito cada escolha nos meses que antecedem o seu dia! Aproveitem cada reunião com os fornecedores e saboreiem cada escolha! Além disso, procurem deixar tudo exatamente com a sua cara e, se possível, coloquem a mão na massa também! Decididamente, são os detalhes que fazem toda a diferença e dão um charme todo especial ao grande dia.

caso-real-bruna-alexandre (26)

caso-real-bruna-alexandre (27)

caso-real-bruna-alexandre (52)

Tudo passa tão rápido, e depois dá uma saudade tão grande! Ainda bem que existem as fotos para aliviar um pouquinho essa sensação. Então bora ver mais fotos:

 

Mais Casos Reais lindos:

O casaníver da Ina e do Lucas

O casamento DIY da Luana e do Felipe

O casamento DIY da Cris e do João