Como juntar dinheiro em casal

Criar uma reserva financeira e juntar dinheiro em casal é essencial para conquistar sonhos. Veja como guardar dinheiro em casal pode facilitar essa tarefa.

Quem casa deseja construir um futuro com a outra pessoa. Entres expectativas e planos, entretanto, muitos desses sonhos ficam distantes se não acompanhados de planejamento financeiro. Por isso, para ver seus objetivos em casal realmente se concretizarem, o primeiro passo é juntar dinheiro.

A boa notícia é que, por mais desafiador que seja organizar as contas em casal, na hora de poupar, a vida a dois pode dar um empurrãzinho aos esforços de vocês. Isso porque, desde que a relação funcione bem, guardar dinheiro a dois costuma ser mais fácil do que cumprir a meta de forma solitária.

E sabe por quê? Primeiramente porque, ao criar uma meta de poupança a dois, um consegue estimular o outro a manter a disciplina no percurso. Se um está gastando demais ou planejando uma compra muito cara, por exemplo, o outro pode lembrá-lo do que irá conquistar lá na frente se segurar essas despesas.

Outro motivo diz respeito a um conceito chamado de compromisso público. No geral, faz parte do ser humano não gostar de admitir que fracassou. Por isso, a partir do momento que dizemos a alguém que iremos cumprir determinado objetivo, automaticamente, nos sentimos mais “forçados” a manter a palavra. Mesmo que tenhamos dito só para uma pessoa, isso já tem efeito sobre as nossas decisões.

Por onde começar?

Para colocar em prática o plano de poupança de vocês, então, comecem pensando nos objetivos que desejam alcançar. Vocês querem comprar um sofá confortável? Fazer uma viagem de fim de ano? Dar entrada em um apartamento? Pensem nas suas metas e em quanto elas irão custar.

Depois, pensem em quanto conseguem poupar por mês para rechear aquela poupança. É possível fazer cortes de gastos? Se ainda não organizaram o orçamento, esta é a hora. Para que tudo isso funcione, entretanto, é fundamental que vocês mantenham uma quantia de dinheiro pessoal, para que cada um possa gastar livremente, sem dar satisfação ao outro. Aqui serve a velha expressão “se apertar demais, espana”. Ou seja, se a meta for extrema demais, é muito improvável que vocês não consigam manter o “sacríficio” por muito tempo.

Por isso, estabeleçam objetivos factíveis, sem privar totalmente o lazer e os gastos pessoais de nenhum de vocês. A regra dos 50/30/20 pode ajudar nesse caso: ela diz que 50% da sua renda seja destinada a gastos essenciais, 30% a supérfluos, como entretenimento e compras, e 20% à sua reserva mensal.

E como poupar a dois?

Para que a ideia de formar uma poupança conjunta seja mais atraente, vocês podem criar uma maneira lúdica de encarar esse desafio. Uma das formas de fazer isso é realmente criando um jogo ou competição entre vocês: marcando uma pontuação para quem poupa mais ou economiza, por exemplo.

Os estímulos visuais também podem ser úteis. Vocês podem, por exemplo, criar um calendário e marcar quantos dias já passaram dentro da meta ou anotar quanto já conseguiram acumular até aquele momento. Estabelecer metas intermediárias pode ajudá-los a visualizar a evolução e manter a disciplina.

Esses métodos de motivação podem ser muito eficazes, principalmente se vocês ainda não têm o hábito de poupar. Depois de um tempo, a ideia é que esse esforço de reserva simplesmente se torne parte da rotina – e do orçamento.

 

*Este material foi escrito pela nosso site parceiro Finanças Femininas para auxiliar  os casais a manter a vida financeira mais saudável e organizada.